terça-feira, 21 de junho de 2016

Citroën quer voltar a "reinar" no conforto


O nome Citroën sempre foi associado aos carros mais confortáveis. Aliás, um dia, Jay Leno disse que o carro mais confortável que já tinha conduzido era um Citroën. Portanto, a Citroën não pode continuar a "desprezar" algo que faz parte da sua imagem de marca.
Portanto, foram agora reveladas informações oficiais da marca acerca do assunto. Agora sabe-se que a marca criou uma nova suspensão (que já se sabia que estava em desenvolvimento há algum tempo...), e que, de acordo com as palavras da marca, espera-se que traga "conforto sem paralelo".


Para mostrar este novo limiar de conforto "às massas" a Citroën integrou a sua nova suspensão num Citroën C4 Cactus, que intitulou de "Citroën Advanced Comfort Lab". Mas a suspensão é mais complexa do que parece. Aliás, a marca tem 30 patentes registadas exclusivamente para a suspensão. Esta conta com, para além das molas, amortecedores e batentes mecânicos, também dois suportes hidráulicos: Enquanto um ajuda o ressalto, outro apoia a compressão. Estes suportes localizam-se um no topo e outro no fundo de cada unidade da suspensão.


Ou seja, a Citroën fez com que a suspensão tenha duas funções: Em compressões e ressaltos ligeiros, os amortecedores trabalham em conjunto com as molas de modo a conferir um controle de movimento vertical sem suportes hidráulicos.

Há também a outra função: Em caso de existirem ressaltos mais "bruscos", há um funcionamento conjunto das molas e amortecedores com os suportes hidráulicos (os tais situados no topo e no fundo da suspensão), de modo a melhorar o curso da suspensão.


A vantagem dos suportes hidráulicos, ou suportes de amortecimento, é que eles abrandam suavemente a carroçaria, de modo a evitar "abanões" fortes. Portanto, este sistema absorve e dissipa gradualmente a energia da travagem na carroçaria. No final de contas, a marca pretende que a condução tenha uma suavidade digna de tapete voador.


Mas as novidades não se ficam pela suspensão: A marca decidiu apostar em melhorias a nível do conforto dos bancos e do habitáculo, pelo que optou por usar espumas de densidades e durezas variadas. Para além dos bancos e suspensão, a marca apostou também em melhorar a qualidade de construção, alternando  a montagem entre o uso de cola e o uso de soldadura.




A marca afirma que é completamente viável do ponto de vista tecnológico assim como monetário aplicar esta solução a todos os modelos da sua gama, desde os compactos até aos SUV's e monovolumes. Aliás, estas tecnologias irão estar disponíveis para o público em geral já no novo Citroën C4 Picasso (ver aqui), cujas vendas deverão arrancar em Setembro de 2016.

Sem comentários:

Enviar um comentário